Nova ferramenta open source nasce da parceria entre Exadel e Red Hat!!!

A Exadel firmou uma parceria com a Red Hat para distribuir suas ferramentas Exadel’s Ajax4jsf, RichFaces e Exadel Studio Pro pela JBoss com os respectivos nomes: JBoss Ajax4jsf, JBoss RichFaces e Red Hat Developer Studio.

Com esta parceria o Red Hat Developer Studio é a primeira ferramenta completa de desenvolvimento JavaEE Open Source baseada em Eclipse, competindo diretamente com o IBM Rational Developer Studio, o MyEclipse. No título do site, a Exadel já colocou: “Exadel – Red Hat Web 2.0 Center of Excellence for J2EE, JSF, AJAX, Struts, SEAM, and Hibernate”.


Para a Red Hat essa parceria prove um forte complemento para sua plataforma JBoss Enterprise Middleware. Amadurecendo e fortalecendo a Red Hat no mercado JavaEE com uma plataforma de desenvolvimento JavaEE completa. Para isso a Red Hat planeja fundir o JBoss IDE e os seu plugins para Eclipse ao Red Hat Developer Studio e consolidar esta fusão Open Source no final de 2007 sobre alguma licença GPL.

Agora os desenvolvedores terão acesso a uma poderosa ferramenta de desenvolvimento JavaEE baseada em Eclipse. Combinando múltiplas tecnologias, como: JSF, Struts, Hibernate, Seam, jBPM, MyFaces, Spring, Ajax, SOA… Sem dúvidas o Red Hat Developer Studio será uma plataforma de desenvolvimento JavaEE completa e produtiva.

Teremos que esperar um pouco para por as mão no Red Hat Developer Studio, más já é possível fazer o download da última versão do Exadel Studio Pro 4.0.

Mais informações sobre essa parceria podem ser lidas no Exadel Partnership FAQ.

Share Button

IBM Technical Briefing (parte 2) – Eclipse: Empowering the universal platform

Dando continuidade ao post anterior, às 13:30 teve início a segunda apresentação do dia. Onde o tema era o Eclipse como plataforma de desenvolvimento universal.

A palestra iniciou com uma apresentação sobre a Fundação Eclipse. A qual a IBM faz parte junto com outras “gigantes” do setor, como a Intel, BEA, Oracle, HP, SAP, Hitachi e muitos outros.

Após essa introdução muito informativa, mas sem conteúdo técnico, foi apresentada a arquitetura do Eclipse com muitos diagramas e animações (que o palestrante disse que se orgulhava muito e pedido para a platéia não bater palmas, pois iria atrasar a palestra…).

Como existem muitos projetos para o Eclipse, foram mostrados apenas os de primeiro nível, ou top level projects: Web Tools Platform project (WTP), Data Tools Platform project (DTP), SOA Tools Platform project (STP), Test and Performance Tools Platform (TPTP), The Eclipse Modeling Project, Device Software Development Platform e Business Intelligence and Reporting Tools project.

Dando seqüência a palestra, foram mostrados alguns dados de pesquisas onde mostram o Eclipse como a principal ferramenta de trabalho entre os desenvolvedores corporativos, com 66,3% do mercado. E alguns dos motivos para isso. Alguns óbvios, como “Todas ferramentas baseadas em Eclipse funcionam da mesma forma”. Outros sem sentido, como “As empresas não precisam escrever seus editores, debbugers e etc”. Outros bem aplicados, como “As empresas podem criar soluções personalizadas de desenvolvimento”.

Muito mais números marcaram essa parte da palestra. Só para citar alguns: “mais de 1 milhão de usuários em mais de 125 países”, “mais de mil plug-ins”, “centenas de artigos”…

Um estudo de caso muito interessante citado foi o do Laboratório de Propulsão de Jatos da NASA. Que utilizou o Eclipse como plataforma para o software que controlou o robozinho da missão à Marte.

A parte mais “prática da palestra”, com menos números e casos de sucesso, iniciou quando foram faladas sobre e mostrados os plug-ins Java Development Tools (JDT), C/C++ Development Tools (CDT), COBOL IDE, Visual Editor (VE) e PHP Development Tools (PDT).

Nada de novidade aqui. A maior parte do tempo foi voltada para o JDT e suas perspectivas e “addons”: editor, assistente de código, corretor rápido, organizador e importação, debbuger, etc… Ou seja, tudo que a maioria dos desenvolvedores Java já conhecem.

Para os outros DTs (Ferramentas de Desenvolvimento, ou plug-ins) foi a mesma coisa. Uma passada rápida sobre as diversas perspectivas.

A segunda metade da palestra foi sobre as ferramentas de desenvolvimento WEB – Web Tools Platform (WTP), Data Tools Platform (DTP) e Ajax Tools Framework (ATF) – e algúmas demonstrações que custaram a funcionar. Mais também com o Eclipse carregado de plug-ins como aquele estava, não era para menos. Pode não ser prático as vezes, mas em minha máquina, eu tenho um Eclipse para cada plug-in não “correlacionado”, como o PDT, CDT, e Java’s…

Para mim a parte mais interessante da palestra foi quando o palestrante falou sobre o Plug-in Development Environment (PDE). Que teve menos falação e foi mostrado como fazer um plug-in para o Eclipse, utilizando o próprio Eclipse, com tudo que um plug-in de respeito tem: Tela de boas vindas, item de menu, ícone na barra de ferramenta, preferencia, help…

A palestra terminou falando da Eclipse Rich Client Platform, mostrando o Eclipse como aplicativo para usuário final e power users, que requerem ferramentas avançadas e de prática utilização.
Fazendo um overview sobre este Briefing, como o Briefing da manhã, este também foi voltado ao público menos familiarizado com as ferramentas apresentadas. Realmente era esse público o maior presente neste dia. Claro que tinha algumas figuras já famosas do meio (alguns a caráter com camisa da SUN e tudo…).

O material desse Briefing pode ser baixado em: IBM Developer Works.

Share Button

IBM Technical Briefing (parte 1) – Architecture, design, and construction using the IBM Rational Software Delivery Platform

Sexta-feira, 9 de Março de 2007 às 9:00 teve início o Technical Briefing da IBM® em Belo Horizonte.

O foco desta apresentação foi o conjunto de ferramentas IBM® Rational® para modelagem, desenho, desenvolvimento, codificação e teste. Frisando a integração entre as ferramentas e sua utilização.

Depois de uma breve introdução que, abordou temas já conhecidos pelo pessoal de engenharia de software (Negócios sob demanda, Gerenciamento de TI, Desenvolvimento dirigido a serviços e SOA) foram apresentados os softwares com direito a demonstração.

O IBM Rational Software Modeler é basicamente um software de modelagem de sistemas que suporta os principais padrões do mercado, como RUP e RAS. Nos trazendo a idéia da modelagem dirigia a desenvolvimento automatizando bastante a geração de código à medida que os modelos são criados. O Software Modeler foi concebido sobre a plataforma do Eclipse, o que deixa o trabalho mais ágil para o pessoal que já trabalha com esta IDE.

O IBM Rational Application Developer é voltado para os desenvolvedores que necessitem desenvolver aplicações corporativas bastante heterogêneas, como portais corporativos (JavaEE), rich clients, web services, etc…

O IBM Rational Software Architect é uma ferramenta que integra o desenho ao desenvolvimento. Retornando a idéia de desenvolvimento dirigida ao desenvolvimento. Essa ferramenta tem suporte ao Java, como ao C/C++. E basicamente controla a arquitetura da aplicação, deixando mais alinhado possível o código ao modelo.

O IBM Rational Systems Developer é a ferramenta mais “chão de fábrica”, mas para grandes fábricas. Ela conta com uma espécie de controle de versões supervisionado pelas outras ferramentas mais autonível. Dando maior controle aos gerentes do que os seus subordinados devem fazer e quando eles fazem.

A palestra foi finalizada com uma melhor apresentação do IBM developerWorks Live!

A integração das ferramentas é bem interessante, e todas foram construídas sobre a plataforma do Eclipse, ou seja, são plug-ins do Eclipse. Acredito que essa foi uma grande idéia da IBM para capturar de certa forma a maior parte das pessoas que trabalham com a arquitetura Java EE.

Eu acredito que o propósito destas apresentações é buscar mais “parceiros” (leia-se clientes) para os produtos IBM Rational. Percebi um certo ar de “Temos o que você precisa para cortar custos e reduzir o ciclo de vida do seu software e estamos na frente!”.

Foi muito válido assistir a esta palestra, no início pensei que seria totalmente voltada para gerentes e engenheiros de software. Mas para mim foi mais uma oportunidade de conhecer novas tecnologias e o que está em evidência no “mundo Java EE”.

O material dessa apresentação pode ser encontrado em IBM Developer Works.

Share Button