IBM Technical Briefing (parte 1) – Architecture, design, and construction using the IBM Rational Software Delivery Platform

Sexta-feira, 9 de Março de 2007 às 9:00 teve início o Technical Briefing da IBM® em Belo Horizonte.

O foco desta apresentação foi o conjunto de ferramentas IBM® Rational® para modelagem, desenho, desenvolvimento, codificação e teste. Frisando a integração entre as ferramentas e sua utilização.

Depois de uma breve introdução que, abordou temas já conhecidos pelo pessoal de engenharia de software (Negócios sob demanda, Gerenciamento de TI, Desenvolvimento dirigido a serviços e SOA) foram apresentados os softwares com direito a demonstração.

O IBM Rational Software Modeler é basicamente um software de modelagem de sistemas que suporta os principais padrões do mercado, como RUP e RAS. Nos trazendo a idéia da modelagem dirigia a desenvolvimento automatizando bastante a geração de código à medida que os modelos são criados. O Software Modeler foi concebido sobre a plataforma do Eclipse, o que deixa o trabalho mais ágil para o pessoal que já trabalha com esta IDE.

O IBM Rational Application Developer é voltado para os desenvolvedores que necessitem desenvolver aplicações corporativas bastante heterogêneas, como portais corporativos (JavaEE), rich clients, web services, etc…

O IBM Rational Software Architect é uma ferramenta que integra o desenho ao desenvolvimento. Retornando a idéia de desenvolvimento dirigida ao desenvolvimento. Essa ferramenta tem suporte ao Java, como ao C/C++. E basicamente controla a arquitetura da aplicação, deixando mais alinhado possível o código ao modelo.

O IBM Rational Systems Developer é a ferramenta mais “chão de fábrica”, mas para grandes fábricas. Ela conta com uma espécie de controle de versões supervisionado pelas outras ferramentas mais autonível. Dando maior controle aos gerentes do que os seus subordinados devem fazer e quando eles fazem.

A palestra foi finalizada com uma melhor apresentação do IBM developerWorks Live!

A integração das ferramentas é bem interessante, e todas foram construídas sobre a plataforma do Eclipse, ou seja, são plug-ins do Eclipse. Acredito que essa foi uma grande idéia da IBM para capturar de certa forma a maior parte das pessoas que trabalham com a arquitetura Java EE.

Eu acredito que o propósito destas apresentações é buscar mais “parceiros” (leia-se clientes) para os produtos IBM Rational. Percebi um certo ar de “Temos o que você precisa para cortar custos e reduzir o ciclo de vida do seu software e estamos na frente!”.

Foi muito válido assistir a esta palestra, no início pensei que seria totalmente voltada para gerentes e engenheiros de software. Mas para mim foi mais uma oportunidade de conhecer novas tecnologias e o que está em evidência no “mundo Java EE”.

O material dessa apresentação pode ser encontrado em IBM Developer Works.

Share Button

Atualizações precipitadas

Sábado passado, sem nada para fazer, resolvi configurar a rede wireless do meu notebook. Ela já estava funcionando com um driver padrão, mas não alcançava a velocidade total e de vez em quando simplesmente parava de funcionar.

Só que, para configurar ela direito a única opção que eu achei na hora foi recompilar o Kernel do Linux, pois o ndiswrapper ainda teimava que o módulo bcm43xx ainda estava lá, mesmo depois dele ser removido, excluído, exorcizado, etc…..

Comecei a me precipitar quando pensei comigo – “Se eu vou ter que recompilar o Kernel, porque não atualizar para a versão estável mais nova?”. Até aqui, nada fora do normal, é meu computador pessoal mesmo, não é nenhum sistema 24/7 de controle de alguma usina nuclear.

Então procurei por algum pacote já montado para o Slackware 11 (opção mais sensata). Não encontrando nada, apelei para o source oficial. Baixei a versão estável mais nova disponível (2.6.20.1) e depois de fazer o download do tar.bz2 de 41.4 MB descompactei o monstrinho no /usr/src e comecei a brincadeira.

Durante a configuração eu procurei otimizar o novo Kernel atendendo aos seguintes quesitos:

1º – compilar mais rápido, tirando opções que eu nunca irei utilizar, como um módulo para uma torradeira de café scsi, e outros módulos similares;

2º – deixar o boot mais rápido, marcando as opções que eu sabia que meu notebook utilizava como Y, ou seja, engordando o Kernel.

Depois de mais ou menos uns 30 minutos “passeando” pelas páginas no menuconfig, sempre verificando o lspci e lembrando de outras configurações que eu já havia feito, chegou a hora de compilar o monstrinho.

Deixei a maquina trabalhando e fui tomar café. Depois de um bom tempo o novo Kernel estava compilado e sem nenhuma mensagem de erro. Bastava eu instalar o novo vmlinuz no lugar certo e reiniciar a máquina. E assim eu o fiz.

Máquina reiniciada, tudo funcionando (verifiquei tudo, principalmente o acpi), chegou a hora de instalar o ndiswrapper com o driver (do Windows XP) da placa wireless.

Quando tentei compilar o ndiswrapper ocorreu um erro. Uma macro do Kernel que supostamente receberia 3 parâmetros agora recebe somente 2. E agora ?! Fui pesquisar… não demorou muito achei o problema. Algum desenvolvedor (maluco) que trabalhou nas últimas versões mudou a macro INIT_WORK, e o patch vai sair em breve.

Não pensei duas vezes, peguei o cd 2 do Slackware 11, reinstalei os pacotes do Kernel 2.6 estável que tem no cd, utilizei o arquivo de configuração atual para não perder tanto tempo reconfigurando tudo de novo e mandei compilar tudo outra vez.

Ai fui pensar no que eu tinha deixado passar. Não tinha lido os changelogs das últimas versões do Kernel. E se eu tivesse lido!? Não ia adiantar nada, pois como eu saberia que o ndiswrapper utilizava a macro que foi alterada.

Share Button

experimentando uma nova "antiga" ferramenta…

Eu nunca cogitei a possibilidade de criar um blog, mas em um típico dia de trabalho. Durante um momento de prática da “complexa arte de morcegar”, lendo algumas notícias interessantes, outras nem tanto, de alguns sites e blogs, resolvi criar o meu blog.

Bom, até aqui tudo bem, se um cara ocupado como Jonathan Schwartz’s mantém um blog, porque eu não posso ter o meu também?

Neste momento vieram os questionamentos: Onde criar meu blog? Comprar um domínio e fazer tudo no braço, ou usar uma hospedagem grátis com ferramentas próprias?

Então recorri ao “oráculo” e busquei por “blog”. Ele me retornou alguns “sites hospedeiros” de blogs, alguns blogs como o da Bruna Surfistinha, o Blog de Guerrilha e o Blog do Noblat e o que eu estava procurando, um guia de blogs.

A partir daí o resto é fácil deduzir…

Share Button