Category Archives: Linux

Ubuntu 11.04 vs. Dell Inspiron 1525

Finalmente instalei o Ubuntu 11.04 no Dell Inspiron 1525. Não pretendo escrever um passo a passo da instalação pois devem haver milhares de blogs e forums com estas informações mais que completas, com telas, vídeos e muito mais. Somente irei listar os problemas que encontrei e mostrar o caminho das pedras para solucionar-los.

Instalação

Como já havia postado anteriormente aqui utilizo 3 partições para garantir a integridade de dados importantes, e organizar um pouco as coisas. Desta vez instalei com o notebook conectado a internet pelo famoso cabo azul. Tudo certo até aqui, ou seja, Ubuntu 11.04 instalado sem problemas. Até tentar utilizar o wireless e ver que a luz do “wifi” não acendia.

Post Install

O primeiro passo foi restabelecer as partições extras /home e /media/backup inserindo as seguintes linhas no arquivo /etc/fstab e reiniciar a maquina.

# /home on /dev/sda3 manually after installation
UUID=<ID_DA_PARTIÇÃO> /home           ext4    rw,nosuid,nodev,uhelper=udisks 0       0
# /media/backup on /dev/sda4 manually after installation
UUID=<ID_DA_PARTIÇÃO> /media/backup   ext4    rw,nosuid,nodev,uhelper=udisks 0       0

Feito isso, chegou a hora de configurar o wireless, que ao contrário da última vez, não foi tão trivial. Depois de vasculhar alguns sites e fóruns e nada funcionar, mesclei algumas soluções encontradas no ubuntuforums.org.

A solução que funcionou para meu caso foi bem simples, mas o pulo do gato (item 3) não estava descrita em lugar nenhum:

  1. Desabilitar o driver Broadcom STA em Additional Drivers.
  2. Instalar o pacote firmware-b43-install e suas dependências utilizando o Synaptic Package Manager.
  3. Comentar todas linhas do arquivo /etc/modprobe.d/broadcom-sta-common.conf com o Terminal VIM, ou outro editor de textos simples.

Após reiniciar a maquina a luz do wifi acendeu e a rede wireless conectou sem problemas e sem quedas de velocidade!

Impressões

  • A retirada do menu principal e inserção deste painel lateral ainda está me confundindo um pouco. O que achei pior é lembrar o nome de todos programas para utiliza-los.
  • A utilização do perfil de usuário do Ubuntu 10.10, não causou nenhum problema nesta versão. Toda parte visual (tema, painel de parede, proteção de tela, atalhos de teclado, etc) e configurações dos programas foram restabelecidas sem nenhuma dor de cabeça.
  • Os efeitos visuais parecem estarem melhores, mais estáveis e mais leves.

Isso é tudo, ate agora!

 

Share Button

Estudando e fazendo música no Ubuntu (parte 1)!

Após ler o post Tux Guitar sem som Ubuntu 10.10 resolvi instalar o TuxGuitar e voltar a tocar! Mas quando fui plugar meu baixo no computador para acompanhar as músicas, percebi que não seria tão trivial como parecia! Pesquisando um pouco na Internet encontrei algumas alternativas para isso. E como forma de facilitar compartilho neste post uma alternativa simples para fazê-lo.

Com o intuito de mostrar alternativas aos software proprietários para estudar e fazer música no computador, este é o primeiro post da série Estudando e fazendo música no Ubuntu, onde será mostrado como instalar e configurar os softwares JACK Control, Qsynth e TuxGuitar para estudar música utilizando somente o computador e uma guitarra ou contra baixo!

Capturando o áudio

Para capturar o áudio vindo do microfone ou line-in basta instalar o JACK, que funciona como um roteador de áudio e midi, que faz o link de uma fonte de áudio com uma ou mais saídas, e vice e versa. Como não queremos ter que configurar tudo a moda antiga, via console, é bem sensato instalar uma interface gráfica. A interface JACK Control, baseada no QT 4.2, é a mais utilizada e conhecida para isso.

Para quem tem preferência pelo GTK,  no GTK-APPS.ORG existem algumas alternativas, como o JACK NetSource GUI e o JACK Network Manager, porém estas são opções mais exóticas, onde é possível rotear fontes de áudio em uma rede de computadores.

É muito simples instalar o JACK, já com o JACK Control no Ubuntu. Basta abrir o Ubuntu Software Center e procurar por JACK, e instalar o JACK Control. Com isso já podemos “plugar” a guitarra ou baixo na entrada de microfone e “rotear” o som do capture_1 para o playback_1 e playback_2 para o som do instrumento, que é mono, sair nos dos dois lados do fone.

O problema agora é regular a altura do som para não saturá-lo e sair com overdrive horrível. Para facilitar isso, pelo menos visualmente, existe o plugin JACK Meterbridge, que não é nada mais que uma janela com opções de medidores analógicos ou de onda da entrada de áudio. A sua instalação é semelhante ao JACK Control, basta procurar por Meterbridge no Ubuntu Software Center e instalá-lo.

O funcionamento do JACK Meterbridge é bem simples. Ele cria dois clientes no JACK, um para entrada e outro para saída de áudio. Porém para facilitar, basta iniciá-lo após rotear a entrada de áudio para as saídas. Desta forma o JACK Meterbridge já faz a ponte no seu roteamento automaticamente, como mostrado no screenshot abaixo, a fonte de som capture_1 fica ligada às pontes meter_1 e meter_2, e as pontes monitor_1 e monitor_2 são ligadas às saidas playback_1 e playback_2.

JACK Control + Qsynth

JACK Control + Qsynth

Tocando junto com o TuxGuitar

Para aprender as músicas utilizando o TuxGuitar, a dica do Vivas para fazer o som do TuxGuitar funcionar no Ubuntu é muito boa. Porém para fazê-lo funcionar simultaneamente com o Jack, não da certo, pois o Jack não consegue capturar a fonte de audio do Java, ou pelo menos não consegui fazê-lo.

Para o TuxGuitar funcionar é preciso instalar o FluidSynth, que é um com sintentizador de áudio em tempo real. E para facilitar o controle dele uma interface bem conhecida e utilizada, e também baseata em QT 4.2, é a Qsynth. A instalação do FluidSynth com o Qsynth segue o mesmo padrão no Ubuntu. Basta procurar por Qsynth no Ubuntu Software Center, selecionar o Add-On Fluid (R3) General Midi SoundFont (GM), que é o banco de sons para MIDI, e clicar em instalar.

O único detalhe a ser observado é que, para o Qsynth possa funcionar corretamente é preciso que o JACK esteja rodando. Desta forma, ao ligar o Qsyth, ele já é roteado automaticamente no JACK através das entradas qsynth leftrigth, como podemmos vemos no screenshot acima.

Agora para o TuxGuitar usar o sintetizador FuidSynth como gerador de sons das suas partituras, devemos instalar o plugin tuxguitar-fluidsynth. Da mesma forma que os outros softwares, basta procurar por ele no Ubuntu Software Center e instalar.

Instalado o plugin e rodando os softwares necessários, Qsynth e JACK Control, devemos configura as preferências de áudio do TuxGuitar selecionando como porta MIDI, a opção Synth Input port (Qsynth1:0), como mostrado no screenshot abaixo.

TuxGuitar Sound Preferences

TuxGuitar Sound Preferences

Agora sim, com toda parafernália de áudio instalada e rodando, podemos tocar simultaneamente com o TuxGuitar no computador, utilizando a entrada de microfone.

TuxGuitar

TuxGuitar

Parece complicado estudar e fazer música no Linux, mas não é tanto assim. Foi mostrado neste post que precisamos de um software para capturar o áudio do seu instrumento e das outras fontes de áudio (JACK Control), um software para sintetizar MIDI (Qsynth) e o TuxGuitar para tocar as partituras/tablaturas. No próximo post da série Estudando e fazendo música no Ubuntu será mostrado como gravar sua guitarra ou contra baixo com efeitos no Ubuntu.

Share Button

Impressões sobre o Ubuntu 10.10

Com o recente lançamento do Ubuntu 10.10, codinome Maverick Meerkat, optei por instalar uma versão nova, from scratch, ao invés de atualizar o sistema, como vinha fazendo desde a versão 8.04, codinome Hardy Heron, como descrevi no post Atualizando o Ubuntu.

Após baixar a ISO do Maverick para 32-bits aqui,  e queimar o CD-R no outro dia, pois infelizmente não havia nenhum CD-R virgem em casa, iniciei a instalação from scratch, que está cada vez mais simples. No meu caso, ainda precisei de alguma configuração extra no post install, pois particiono o disco do computador em 3 partes:

  • Uma para o Sistema Operacional e demais programas, montada na raíz /
  • Uma para os dados dos usuários, ou seja /home/
  • E outra para downloads e maquinas virtuais, que costumo montar em /media/backup/

Instalação

Escolhido a partição correta, o instalador avalia as configurações do computador para prosseguir. Ele pede para instalar conectado na Internet para baixar drivers e pacotes extras. Como não estava com nenhum cabo de rede à mão, fiz a instalação off-line mesmo. Outra coisa interessante nesta instalação são as configurações iniciais, que são realizadas durante o processo de cópia dos arquivos, o que poupa um bocado de tempo.

Tudo pronto, é solicitado que retire o CD do drive para reiniciar o computador. Neste ponto há uma pequena falha do instalador, pois quando abre a bandeja ele informa vários erros de I/O.

Post Install

Maquina reiniciada (não cronometrei, porém achei bem mais rápido que a versão anterior), é hora de fazer as configurações post install:

  1. Achar um cabo de rede e instalar o driver proprietário do wireless.
  2. Inserir os caminhos corretos para as outras partições no /etc/fstab.

Desta vez a dor de cabeça para instalar a placa de rede corretamente foi zero, ao contrário de antes como havia relatado no post Melhorando a qualidade do wireless da placa Broadcom BCM4312 no Ubuntu 8.04. Após instalar o driver, o wireless já estava funcionando e buscando as redes próximas. Bastou então, encontrar minha rede e inserir a chave de segurança. Pronto! Rede funcionando 100% sem precisar configurar nada a mais e sem reiniciar o computador.

Para finalizar, e para reaver as minhas configurações pessoais anteriores, precisava apontar o caminho correto do /home no arquivo /etc/fstab:

# /home on /dev/sda3 manually after installation
UUID=<ID_DA_PARTIÇÃO> /home           ext4    rw,nosuid,nodev,uhelper=udisks 0       0
# /media/backup on /dev/sda4 manually after installation
UUID=<ID_DA_PARTIÇÃO> /media/backup   ext4    rw,nosuid,nodev,uhelper=udisks 0       0

Após desmontar as partições e inserir o código acima no arquivo /etc/fstab e efetuar logout e login novamente, todas as minhas configurações pessoais estavam da forma que deixei antes da nova instalação.

Primeiras Impressões

  • A inicialização do sistema está mais rápida que antes.
  • O pareamento do mouse bluetooth está bem mais rápido. Não chega a ser instantâneo, mas não fico nervoso clicando e mexendo o mouse para ele parear.
  • Todos os microfones do notebook (3 ao todo) estão funcionando de forma separada.

Por enquanto isso é tudo! Encontrando novas dificuldades ou facilidades informo aqui!

Share Button